SEJA BEM VINDO(A)!

Neste blog compartilho com você minhas reflexões sobre algumas passagens bíblicas.
Esse é um espaço muito especial para mim e eu desejo que essas reflexões possam edificar a minha e a sua vida. A Deus, toda a honra e toda a glória!

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Metanoia

   Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

  Jesus foi um revolucionário. Quando esteve na terra Ele distribuiu amor e conhecimento aos que eram considerados a escória da sociedade (prostitutas, coletores de impostos, leprosos, entre outros) (João 8, Lucas 19, Mateus 8). Curou ao sábado, embora a lei não pemitisse (Lucas 14). Expulsou mercadores do templo, derrubou mesas de cambistas e cadeiras de vendedores de pombas (Mateus 21:12-13). E esses são só alguns exemplos da natureza revolucionária de Jesus Cristo.

   Jesus fugia dos padrões e nós, como seus servos, devemos seguir seu exemplo: não se amoldar ao padrão deste mundo. Se o padrão é ser corrupto, seja honesto. Se o padrão é desrespeitar seus pais e superiores, honre-os. Se o padrão é trair, seja leal. Se o padrão é mentir, fale sempre a verdade. Se o padrão é juntar para si, doe a quem necessita com alegria. Nunca queira ser como os outros que não conhecem a verdade (a palavra de Deus).

  O mundo jaz no maligno (1 João 5:19). Por isso, nunca poderemos nos encaixar nos padrões mundanos se quisermos nos encaixar no padrão de Deus para cada um de nós. Isso se chama METANOIA (mudança essencial de pensamento ou de caráter). E a recompensa está no final do versículo destacado acima: experimentar e comprovar a boa, perfeita e agradável vontade de Deus. Tem algo melhor do que isso?

terça-feira, 23 de junho de 2015

Com a boca e com o coração

Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo.
Pois com o coração se crê para justiça, e com a boca se confessa para salvação.

A salvação vem pela fé que é demonstrada externamente (pela boca) e manifestada internamente (dentro do coração).
Em diversos livros da Bíblia podemos perceber que Deus se agrada de pessoas honestas e verdadeiras.
Pessoas cujas palavras revelam verdadeiramente aquilo que está no seu coração.
Pessoas que não usam máscaras.

A salvação para a vida eterna foi a maior dádiva concedida à humanidade, através do sacrifício de Jesus Cristo. Isto nos foi concedido pela graça e está disponível a TODOS que acreditarem.
Porém, é importante lembrar que 2 coisas selam a salvação, isto é, 2 coisas são necessárias para firmar o nosso "Sim" à salvação oferecida pelo sacrifício de Jesus Cristo:
1) Confessar com a boca: fazemos isso quando falamos em alto e bom som diante de testemunhas: "eu recebo a ti, Jesus Cristo, como meu Senhor e Salvador".
2) Crer com o coração: a confissão dos lábios é inválida se o coração não crê naquilo que estamos falando. É por isso que ninguém tem o direito de determinar salvação ou condenação sobre a vida de alguém. Somente Deus conhece a verdadeira intenção no coração das pessoas. 

É triste, mas a verdade é que muitos não têm a certeza da salvação, embora professem a fé cristã. Outros têm uma falsa convicção de que estão salvos, mas no seu coração não reconheceram, de fato, a Cristo como seu Senhor e Salvador. Fizeram a confissão de lábios, mas não creram em seu coração.

Aquilo que falamos deve estar sempre alinhado com aquilo no qual acreditamos. Isso agrada a Deus e permite a sua obra em nossas vidas, e a salvação não foge a esta premissa.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

No que você está segurando?

   Na noite seguinte o Senhor, pondo-se ao lado dele, disse: "Coragem! Assim como você testemunhou a meu respeito em Jerusalém, deverá testemunhar também em Roma". Atos 23:11

   Você realmente crê que Deus tudo pode?
   
   Você já foi desafiado a crer no improvável? E no impossível? Você já esteve diante de uma situação em que tudo conspirava contra você e o único alento era uma voz, dentro do seu coração, dizendo: "Siga em frente, não temas"?
   
   Paulo estava diante de uma situação como esta. Ao testemunhar da ressurreição em Cristo, Paulo despertou a fúria de muitos homens e o desejo de matá-lo. Ainda assim, o Senhor lhe dizia: "seu ministério não está acabado. Não temas! Eu estou contigo".
   
   Às vezes, Deus nos deixa passar por provações e situações de completa impotência para reconhecermos que somos limitados e que nada que façamos pode ser bem sucedido sem que a mão DELE esteja à frente. Quando estamos no fundo do poço e não temos no que segurar a não ser nas fortes mãos do Senhor, é então que a nossa fé é multiplicada e podemos ver milagres acontecer.
   
   Se ELE te designou a fazer algo, não temas. ELE é o maior interessado em te proteger, te direcionar e fazer a missão que ELE mesmo designou a você prosperar.
   
   No que ou em quem você está se segurando? Onde está a sua confiança?
   
   Minha oração é que possamos depositar nossa confiança no eterno, naquele que nunca falha, naquele que tudo pode: nosso SENHOR e DEUS.

   Entregue seu caminho ao Senhor; confie nele, e ele agirá. Salmos 37:5  

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Unidade

"Minha oração não é apenas por eles. Rogo também por aqueles que crerão em mim, por meio da mensagem deles, para que todos sejam um, Pai, como tu estás em mim e eu em ti. Que eles também estejam em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste.
Dei-lhes a glória que me deste, para que eles sejam um, assim como nós somos um: eu neles e tu em mim. Que eles sejam levados à plena unidade, para que o mundo saiba que tu me enviaste, e os amaste como igualmente me amaste".


Você sabia que Jesus orou por nós, antes mesmo que nós existíssemos? Em João 17, às vésperas de ser crucificado, Jesus orou por seus discípulos e lembrou-se daqueles que viriam a se tornar discípulos pela mensagem que seria pregada.

Ao orar por nós, Jesus pediu que tivéssemos UNIDADE. Infelizmente, essa palavra muitas vezes não caracteriza a maneira como nós, cristãos, temos vivido e nos relacionado. Unidade é diferente de comunidade: vai muito mais além. 

Unidade é ter os mesmos interesses. Se eu quero o bem do meu irmão o tanto quanto quero o meu bem, por que terei atitudes egoístas? Se eu não gosto de ser julgado pelo meu jeito de ser, de se vestir ou de falar, por que irei julgar quem é diferente? Unidade é enxergar a nós mesmos nos nossos irmãos em Cristo. É chorar com os que choram e se alegrar com os que alegram.

Se não temos unidade com nossos irmãos em Cristo, como o mundo saberá que o Pai nos enviou? Se as pessoas do mundo veem desunião, falta de harmonia e divisão dentro da igreja, como se sentirão motivados a fazer parte?

A unidade não se aplica apenas a deixar Cristo viver através de nós e reconhecermos que Deus está em Cristo, mas também em sermos um com nossos irmãos. Isso também se aplica àqueles que são de outras igrejas e denominações. Se formos capazes de fazer isto, o mundo crerá que somos seguidores de um único Deus: um Deus de misericórdia e amor.

Paz.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Inclinação para o bem

Alguns acreditam que o ser humano tem uma inclinação natural para o mal, para os vícios e para o pecado. Agostinho de Hipona, conhecido como Santo Agostinho, defendia que já nascemos pecadores (pecado original) e somente um esforço consciente pode nos fazer superar essa deficiência “natural”.

Na Bíblia, é possível encontrar algumas passagens que apoiam a ideia de que a natureza humana é pecaminosa desde o princípio:

Romanos 3:23 – Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.

Gênesis 8:21 - O Senhor sentiu o aroma agradável e disse a si mesmo: “Nunca mais amaldiçoarei a terra por causa do homem, pois o seu coração é inteiramente inclinado para o mal desde a infância. E nunca mais destruirei todos os seres vivos como fiz desta vez”.

Salmos 51:5 - Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.

Soma-se ao fato de nascermos com tal inclinação, a influência recebida na sociedade. Uma criança, por mais pura e inocente que seja, é inevitavelmente exposta à violência, atos de desonestidade e outros exemplos de maldade que acabam por influenciá-la a tornar-se, semelhantemente, um adulto inclinado a praticar o mal. E infelizmente, por mais que nos esforcemos para combater essa "cultura do mal", dificilmente o mundo se tornará melhor, como a passagem de João 5:19 ressalta: Sabemos que somos de Deus e que o mundo todo está sob o poder do Maligno.

Diante de tanta corrupção, desonestidade e violência é natural que acreditemos nisso, que praticar atos de maldade faz parte da natureza humana. Assumimos assim uma postura pessimista e nos acostumamos a viver em um mundo corrompido.

Mas, seria possível ao homem contrariar essa tendência e tornar-se alguém com uma inclinação natural para o bem? Eu creio que sim.

Primeiramente, devemos lembrar que somos imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1:26-27). Portanto, o bem também faz parte da nossa natureza.

Romanos 2:14-15 ressalta que mesmo os gentios, que não viviam sob um regime de lei, obedeciam naturalmente algumas ordenanças mediante "senso comum": De fato, quando os gentios, que não têm a lei, praticam naturalmente o que ela ordena, tornam-se lei para si mesmos, embora não possuam a lei; pois mostram que as exigências da lei estão gravadas em seus corações. Disso dão testemunho também a consciência e os pensamentos deles, ora acusando-os, ora defendendo-os.

Além de termos um senso natural, eu diria que é impossível ter um encontro com Jesus Cristo e não sermos transformados (e sim, esse encontro é possível nos dias de hoje embora ELE não esteja presente em carne - mas isso é assunto para outra postagem). Gálatas 2:20 destaca bem isso: Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.

A busca por um caráter reto e por nos tornarmos pessoas melhores, com uma inclinação natural para o bem, é um diferencial dos que seguem a Jesus Cristo, os escolhidos de Deus:

Colossenses 3:12-14 - Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito.

Gálatas 5:22-25 - Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.

A minha conclusão é que, ainda que haja uma tendência para o mal, devemos buscar ser diferentes. A natureza humana, falha e tendenciosa à maldade, pode ser sim transformada pelo poder de Deus. Tudo começa com uma decisão pessoal de vivermos separados dos padrões desse mundo e de seguir o modelo que nos foi dado pelo próprio Deus, na pessoa de Jesus Cristo.

Romanos 12:2 - Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Paz a todos.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Há poder na palavra de Deus

Os teus testemunhos são maravilhosos; por isso lhes obedeço.
A explicação das tuas palavras ilumina e dá discernimento aos inexperientes.
Abro a boca e suspiro, ansiando por teus mandamentos.
Volta-te para mim e tem misericórdia de mim, como sempre fazes aos que amam o teu nome.
Dirige os meus passos, conforme a tua palavra; não permitas que nenhum pecado me domine.
Resgata-me da opressão dos homens, para que eu obedeça aos teus preceitos.
Faze o teu rosto resplandecer sobre o teu servo, e ensina-me os teus decretos.

Salmos 119:129-135

Olá!

   O livro de Salmos é uma coleção de poemas escritos por diferentes autores (Davi foi autor de aproximadamente metade deles: 73 Salmos). Na Bíblia, encontramos muitas palavras de encorajamento. Algumas foram ditas por Jesus Cristo, em sua passagem pela terra. Outras pelos apóstolos. Há também grandes histórias de vitórias, conquistas e libertação daqueles que buscaram em Deus a força e a determinação para alcança-las (tanto no velho quanto no novo testamento há exemplos).

   Mas certamente, o livro de Salmos é um dos principais para quem busca encorajamento e uma esperança renovada. A beleza desse livro está na riqueza da adoração que pode ser extraída de suas passagens. Vários capítulos destacam o quanto Deus é poderoso, misericordioso e fiel, a sua bondade com aqueles que o servem e a magnitude da sua glória e poder. Através dos Salmos podemos claramente perceber (e até sentir) a alegria e a plenitude no coração dos salmistas quando regozijavam-se na presença de Deus.

   Os versos em destaque acima mostram a grandeza da palavra de Deus, que também é uma forma de adorá-lo.

   O salmista reconhece que:
1) A palavra e os mandamentos de Deus são ensinamento:a explicação das tuas palavras ilumina e dá discernimento”; “dirige os meus passos”; “ensina-me os teus decretos”.
2) Na palavra de Deus há poder para vencer o mal:não permitas que nenhum pecado me domine”; “Resgata-me da opressão dos homens”.

   Quando entendemos que a Bíblia não é só um livro, mas alimento espiritual e um portal direto de comunicação com Deus, passamos a usá-la de forma diferente.

   Buscamos a ela com sede, pois suas palavras têm impacto nas nossas vidas. Passamos a lê-la não com os olhos carnais, mas com um olhar direcionado pelo Espírito Santo. Buscamos em Deus o entendimento dessas palavras, e não em nós mesmos. Por fim, percebemos que como diz Isaias 55:11, ela nunca volta vazia (muitas vezes lemos uma passagem já conhecida, e ainda assim, temos novas interpretações e tiramos novo aprendizado dessa passagem).


   Minha oração é para que Deus me dê a compreensão da sua palavra através do Espírito Santo, e que essas palavras fiquem gravadas no meu coração, para que possam me direcionar todos os dias da minha vida. Amém!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Digno de glória

Depois disso Jesus percorreu a Galiléia, mantendo-se deliberadamente longe da Judéia, porque ali os judeus procuravam tirar-lhe a vida. Mas, ao se aproximar a festa judaica dos tabernáculos, os irmãos de Jesus lhe disseram: "Você deve sair daqui e ir para a Judéia, para que os seus discípulos possam ver as obras que você faz. Ninguém que deseja ser reconhecido publicamente age em segredo. Visto que você está fazendo estas coisas, mostre-se ao mundo". Pois nem os seus irmãos criam nele. Então Jesus lhes disse: "Para mim ainda não chegou o tempo certo; para vocês qualquer tempo é certo. O mundo não pode odiá-los, mas a mim odeia porque dou testemunho de que o que ele faz é mau. Vão vocês à festa; eu ainda não subirei a esta festa, porque para mim ainda não chegou o tempo apropriado". Tendo dito isso, permaneceu na Galiléia.

Contudo, depois que os seus irmãos subiram para a festa, ele também subiu, não abertamente, mas em segredo. Na festa os judeus o estavam esperando e perguntavam: "Onde está aquele homem?" Entre a multidão havia muitos boatos a respeito dele. Alguns diziam: "É um bom homem". Outros respondiam: "Não, ele está enganando o povo". Mas ninguém falava dele em público, por medo dos judeus. 

Quando a festa estava na metade, Jesus subiu ao templo e começou a ensinar. Os judeus ficaram admirados e perguntaram: "Como foi que este homem adquiriu tanta instrução, sem ter estudado?" Jesus respondeu: "O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou. Se alguém decidir fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus ou se falo por mim mesmo. Aquele que fala por si mesmo busca a sua própria glória, mas aquele que busca a glória de quem o enviou, este é verdadeiro; não há nada de falso a seu respeito". - João 7:1-18

Olá!
   
   A passagem de João 7 é uma das muitas que nos faz perceber o quão extraordinária era a pessoa de Jesus Cristo. Extraordinário significa fora do ordinário, incomum ou excepcional. É um adjetivo que designa aquilo que não se adequa ao costume geral.

   A Bíblia nos mostra que, desde a sua infância, Jesus repetidamente se envolveu em situações que faziam o seu caráter extraordinário se manifestar. Ele questionava costumes e leis; adotava uma postura de amor a pessoas que eram consideradas a escória da sociedade; não compactuava com aquilo que era mau mesmo que, para isso, precisasse contrariar autoridades terrenas; fazia obras sobrenaturais; e até o seu modo de falar surpreendia as pessoas. Se recusando a acreditar que era o filho de Deus que estava diante delas, as pessoas se indagavam: "Como este homem pode ter tanta instrução sem ter estudado?".

   No final da passagem acima, é o próprio Jesus Cristo quem responde a indagação desses e de tantos outros que, ainda hoje, ficam pasmos diante da extraordinária figura de Jesus: "O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou". E então Jesus glorifica ao Pai, nos deixando esse valioso exemplo. 

   O próprio Jesus Cristo não buscava glória para si, mas antes dava glória em tudo a Deus, aquele que o enviou. Como cristãos devemos lembrar sempre de dar glórias àquele que nos enviou. É muito fácil se deixar levar pelos elogios e pela admiração dos outros a nosso respeito. O nosso ego é uma criança mimada esperando para ser "paparicada". É preciso estar vigilante nessas circunstâncias por duas razões:

(1) Para não deixar o orgulho tomar conta de nós. "O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda." - Provérbios 16:18

(2) Para dar glória a quem é digno de recebê-la. "Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor!" - Apocalipse 5:12

Em oração eu peço que tenhamos o exemplo de Jesus em nossas mentes e em nossos corações. À Deus toda a glória, a honra e a adoração! Amém.