SEJA BEM VINDO(A)!

Neste blog compartilho com você minhas reflexões sobre algumas passagens bíblicas.
Esse é um espaço muito especial para mim e eu desejo que essas reflexões possam edificar a minha e a sua vida. A Deus, toda a honra e toda a glória!

terça-feira, 7 de abril de 2015

Inclinação para o bem

Alguns acreditam que o ser humano tem uma inclinação natural para o mal, para os vícios e para o pecado. Agostinho de Hipona, conhecido como Santo Agostinho, defendia que já nascemos pecadores (pecado original) e somente um esforço consciente pode nos fazer superar essa deficiência “natural”.

Na Bíblia, é possível encontrar algumas passagens que apoiam a ideia de que a natureza humana é pecaminosa desde o princípio:

Romanos 3:23 – Pois todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus.

Gênesis 8:21 - O Senhor sentiu o aroma agradável e disse a si mesmo: “Nunca mais amaldiçoarei a terra por causa do homem, pois o seu coração é inteiramente inclinado para o mal desde a infância. E nunca mais destruirei todos os seres vivos como fiz desta vez”.

Salmos 51:5 - Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde que me concebeu minha mãe.

Soma-se ao fato de nascermos com tal inclinação, a influência recebida na sociedade. Uma criança, por mais pura e inocente que seja, é inevitavelmente exposta à violência, atos de desonestidade e outros exemplos de maldade que acabam por influenciá-la a tornar-se, semelhantemente, um adulto inclinado a praticar o mal. E infelizmente, por mais que nos esforcemos para combater essa "cultura do mal", dificilmente o mundo se tornará melhor, como a passagem de João 5:19 ressalta: Sabemos que somos de Deus e que o mundo todo está sob o poder do Maligno.

Diante de tanta corrupção, desonestidade e violência é natural que acreditemos nisso, que praticar atos de maldade faz parte da natureza humana. Assumimos assim uma postura pessimista e nos acostumamos a viver em um mundo corrompido.

Mas, seria possível ao homem contrariar essa tendência e tornar-se alguém com uma inclinação natural para o bem? Eu creio que sim.

Primeiramente, devemos lembrar que somos imagem e semelhança de Deus (Gênesis 1:26-27). Portanto, o bem também faz parte da nossa natureza.

Romanos 2:14-15 ressalta que mesmo os gentios, que não viviam sob um regime de lei, obedeciam naturalmente algumas ordenanças mediante "senso comum": De fato, quando os gentios, que não têm a lei, praticam naturalmente o que ela ordena, tornam-se lei para si mesmos, embora não possuam a lei; pois mostram que as exigências da lei estão gravadas em seus corações. Disso dão testemunho também a consciência e os pensamentos deles, ora acusando-os, ora defendendo-os.

Além de termos um senso natural, eu diria que é impossível ter um encontro com Jesus Cristo e não sermos transformados (e sim, esse encontro é possível nos dias de hoje embora ELE não esteja presente em carne - mas isso é assunto para outra postagem). Gálatas 2:20 destaca bem isso: Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.

A busca por um caráter reto e por nos tornarmos pessoas melhores, com uma inclinação natural para o bem, é um diferencial dos que seguem a Jesus Cristo, os escolhidos de Deus:

Colossenses 3:12-14 - Portanto, como povo escolhido de Deus, santo e amado, revistam-se de profunda compaixão, bondade, humildade, mansidão e paciência. Suportem-se uns aos outros e perdoem as queixas que tiverem uns contra os outros. Perdoem como o Senhor lhes perdoou. Acima de tudo, porém, revistam-se do amor, que é o elo perfeito.

Gálatas 5:22-25 - Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.

A minha conclusão é que, ainda que haja uma tendência para o mal, devemos buscar ser diferentes. A natureza humana, falha e tendenciosa à maldade, pode ser sim transformada pelo poder de Deus. Tudo começa com uma decisão pessoal de vivermos separados dos padrões desse mundo e de seguir o modelo que nos foi dado pelo próprio Deus, na pessoa de Jesus Cristo.

Romanos 12:2 - Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Paz a todos.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Há poder na palavra de Deus

Os teus testemunhos são maravilhosos; por isso lhes obedeço.
A explicação das tuas palavras ilumina e dá discernimento aos inexperientes.
Abro a boca e suspiro, ansiando por teus mandamentos.
Volta-te para mim e tem misericórdia de mim, como sempre fazes aos que amam o teu nome.
Dirige os meus passos, conforme a tua palavra; não permitas que nenhum pecado me domine.
Resgata-me da opressão dos homens, para que eu obedeça aos teus preceitos.
Faze o teu rosto resplandecer sobre o teu servo, e ensina-me os teus decretos.

Salmos 119:129-135

Olá!

   O livro de Salmos é uma coleção de poemas escritos por diferentes autores (Davi foi autor de aproximadamente metade deles: 73 Salmos). Na Bíblia, encontramos muitas palavras de encorajamento. Algumas foram ditas por Jesus Cristo, em sua passagem pela terra. Outras pelos apóstolos. Há também grandes histórias de vitórias, conquistas e libertação daqueles que buscaram em Deus a força e a determinação para alcança-las (tanto no velho quanto no novo testamento há exemplos).

   Mas certamente, o livro de Salmos é um dos principais para quem busca encorajamento e uma esperança renovada. A beleza desse livro está na riqueza da adoração que pode ser extraída de suas passagens. Vários capítulos destacam o quanto Deus é poderoso, misericordioso e fiel, a sua bondade com aqueles que o servem e a magnitude da sua glória e poder. Através dos Salmos podemos claramente perceber (e até sentir) a alegria e a plenitude no coração dos salmistas quando regozijavam-se na presença de Deus.

   Os versos em destaque acima mostram a grandeza da palavra de Deus, que também é uma forma de adorá-lo.

   O salmista reconhece que:
1) A palavra e os mandamentos de Deus são ensinamento:a explicação das tuas palavras ilumina e dá discernimento”; “dirige os meus passos”; “ensina-me os teus decretos”.
2) Na palavra de Deus há poder para vencer o mal:não permitas que nenhum pecado me domine”; “Resgata-me da opressão dos homens”.

   Quando entendemos que a Bíblia não é só um livro, mas alimento espiritual e um portal direto de comunicação com Deus, passamos a usá-la de forma diferente.

   Buscamos a ela com sede, pois suas palavras têm impacto nas nossas vidas. Passamos a lê-la não com os olhos carnais, mas com um olhar direcionado pelo Espírito Santo. Buscamos em Deus o entendimento dessas palavras, e não em nós mesmos. Por fim, percebemos que como diz Isaias 55:11, ela nunca volta vazia (muitas vezes lemos uma passagem já conhecida, e ainda assim, temos novas interpretações e tiramos novo aprendizado dessa passagem).


   Minha oração é para que Deus me dê a compreensão da sua palavra através do Espírito Santo, e que essas palavras fiquem gravadas no meu coração, para que possam me direcionar todos os dias da minha vida. Amém!

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Digno de glória

Depois disso Jesus percorreu a Galiléia, mantendo-se deliberadamente longe da Judéia, porque ali os judeus procuravam tirar-lhe a vida. Mas, ao se aproximar a festa judaica dos tabernáculos, os irmãos de Jesus lhe disseram: "Você deve sair daqui e ir para a Judéia, para que os seus discípulos possam ver as obras que você faz. Ninguém que deseja ser reconhecido publicamente age em segredo. Visto que você está fazendo estas coisas, mostre-se ao mundo". Pois nem os seus irmãos criam nele. Então Jesus lhes disse: "Para mim ainda não chegou o tempo certo; para vocês qualquer tempo é certo. O mundo não pode odiá-los, mas a mim odeia porque dou testemunho de que o que ele faz é mau. Vão vocês à festa; eu ainda não subirei a esta festa, porque para mim ainda não chegou o tempo apropriado". Tendo dito isso, permaneceu na Galiléia.

Contudo, depois que os seus irmãos subiram para a festa, ele também subiu, não abertamente, mas em segredo. Na festa os judeus o estavam esperando e perguntavam: "Onde está aquele homem?" Entre a multidão havia muitos boatos a respeito dele. Alguns diziam: "É um bom homem". Outros respondiam: "Não, ele está enganando o povo". Mas ninguém falava dele em público, por medo dos judeus. 

Quando a festa estava na metade, Jesus subiu ao templo e começou a ensinar. Os judeus ficaram admirados e perguntaram: "Como foi que este homem adquiriu tanta instrução, sem ter estudado?" Jesus respondeu: "O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou. Se alguém decidir fazer a vontade de Deus, descobrirá se o meu ensino vem de Deus ou se falo por mim mesmo. Aquele que fala por si mesmo busca a sua própria glória, mas aquele que busca a glória de quem o enviou, este é verdadeiro; não há nada de falso a seu respeito". - João 7:1-18

Olá!
   
   A passagem de João 7 é uma das muitas que nos faz perceber o quão extraordinária era a pessoa de Jesus Cristo. Extraordinário significa fora do ordinário, incomum ou excepcional. É um adjetivo que designa aquilo que não se adequa ao costume geral.

   A Bíblia nos mostra que, desde a sua infância, Jesus repetidamente se envolveu em situações que faziam o seu caráter extraordinário se manifestar. Ele questionava costumes e leis; adotava uma postura de amor a pessoas que eram consideradas a escória da sociedade; não compactuava com aquilo que era mau mesmo que, para isso, precisasse contrariar autoridades terrenas; fazia obras sobrenaturais; e até o seu modo de falar surpreendia as pessoas. Se recusando a acreditar que era o filho de Deus que estava diante delas, as pessoas se indagavam: "Como este homem pode ter tanta instrução sem ter estudado?".

   No final da passagem acima, é o próprio Jesus Cristo quem responde a indagação desses e de tantos outros que, ainda hoje, ficam pasmos diante da extraordinária figura de Jesus: "O meu ensino não é de mim mesmo. Vem daquele que me enviou". E então Jesus glorifica ao Pai, nos deixando esse valioso exemplo. 

   O próprio Jesus Cristo não buscava glória para si, mas antes dava glória em tudo a Deus, aquele que o enviou. Como cristãos devemos lembrar sempre de dar glórias àquele que nos enviou. É muito fácil se deixar levar pelos elogios e pela admiração dos outros a nosso respeito. O nosso ego é uma criança mimada esperando para ser "paparicada". É preciso estar vigilante nessas circunstâncias por duas razões:

(1) Para não deixar o orgulho tomar conta de nós. "O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda." - Provérbios 16:18

(2) Para dar glória a quem é digno de recebê-la. "Digno é o Cordeiro que foi morto de receber poder, riqueza, sabedoria, força, honra, glória e louvor!" - Apocalipse 5:12

Em oração eu peço que tenhamos o exemplo de Jesus em nossas mentes e em nossos corações. À Deus toda a glória, a honra e a adoração! Amém.

quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Um menino nos nasceu

"Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz." - Isaías 9:6-11

Olá amigos,

   Então é Natal. Hoje, 25 de dezembro, celebra-se quase que no mundo todo o nascimento de Jesus Cristo, a despeito da incerteza relacionada à data exata desse acontecimento. Nesse período, todos os anos, famílias se reúnem em diversos países para comemorar e sentimentos de fraternidade, amor ao próximo e gratidão invadem os corações. A alegria do anúncio das boas novas, ocorrido há mais de 2.000 anos atrás, se renova entre aqueles que nelas crêem como se fossem anunciadas hoje.

   Isso, por si só, me deixa impressionada. Como não crer que Jesus Cristo é o messias? Como não crer que Jesus Cristo é o salvador? Que outro nascimento teve tão grande repercussão na história da humanidade? Qual foi o rei, o imperador, o líder religioso ou político que ocupou tanto prestígio, a ponto de ter sua data de nascimento celebrada por famílias do mundo inteiro ainda que ninguém saiba, ao certo, a exatidão dessa data?

   Para mim, foi fácil crer em Deus e crer na mensagem da Bíblia Sagrada. Deus é tão misericordioso comigo que me permitiu ter vivências, desde a infância, suficientes para afastar toda sombra de dúvidas a respeito da sua existência e do seu cuidado, diário, para comigo. Mas ainda que eu não tivesse tais experiências eu teria muitos motivos para acreditar em Deus e mais, para acreditar que Deus não está morto (que a propósito é o título e a mensagem central de um filme, dirigido por Harold Cronk).

   Se eu escrevesse sobre cada um dos meus motivos, certamente iria extrapolar o limite de palavras. Mas para não me prolongar, volto ao ponto apresentado anteriormente: um nascimento simples, ocorrido sem nenhuma pompa - numa manjedoura -, mudou completamente o rumo da história. Como isso pode acontecer? Por que outros nascimentos não tiveram a mesma repercussão? 

   Para mim, a resposta é clara e está no versículo em destaque no início desta postagem. Jamais outro nascimento terá o mesmo impacto que o nascimento de Jesus Cristo teve na história da humanidade, porque só há um Rei sobre todos os reis. Só há um Senhor sobre todos os senhores. Só há um nome sobre todos os nomes. E esse nome é Jesus. 

   O governo da humanidade foi colocado sobre os ombros de Jesus e embora sua trajetória na terra tenha sido curta (pouco mais de 30 anos), sua autoridade permanece até hoje, e permanecerá para sempre. Autoridade essa que foi exercida por Jesus de uma forma que, semelhante ao seu nascimento, jamais será repetida: com humildade, mansidão, sacrifício e amor incondicional pela humanidade. 

   O nascimento de Jesus, visto isoladamente, teria razões para ser um nascimento corriqueiro. Porém, longe de ter ocorrido como um evento isolado, o nascimento de Jesus ocorreu em circunstâncias sobrenaturais. As mensagens e sinais enviados pelo próprio Deus antes mesmo da concepção de Jesus Cristo e o impacto do nascimento, da vida, da morte e da ressurreição de Jesus sobre a humanidade até os dias atuais me fazem crer nas boas novas anunciadas pelo anjo Gabriel:

"Não tenha medo, Maria; você foi agraciada por Deus! Você ficará grávida e dará à luz um filho, e lhe porá o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai Davi, e ele reinará para sempre sobre o povo de Jacó; seu Reino jamais terá fim" - Lucas 1: 30-33

   Por fim, ressalto: Deus nos dá o livre-arbítrio para crer ou não crer no que quisermos. Eu não estava lá quando o nascimento de Jesus aconteceu. Mas diante de tudo que vi e vivi desde que aceitei que Jesus Cristo é o meu Senhor e salvador, mantenho minha posição de crer nas boas novas. E você? Decide crer ou descrer?

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Tende bom ânimo

"Disse-vos isto por parábolas; chega, porém, a hora em que não vos falarei mais por parábolas, mas abertamente vos falarei acerca do Pai.
Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que eu rogarei por vós ao Pai;
Pois o mesmo Pai vos ama, visto como vós me amastes, e crestes que saí de Deus.
Saí do Pai, e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai.
Disseram-lhe os seus discípulos: Eis que agora falas abertamente, e não dizes parábola alguma. Agora conhecemos que sabes tudo, e não precisas de que alguém te interrogue. Por isso cremos que saíste de Deus. Respondeu-lhes Jesus: Credes agora?
Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e me deixareis só; mas não estou só, porque o Pai está comigo.
Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo."
João 16:25-33

Olá amigos!

A passagem acima é bem conhecida, principalmente a frase final. É comum ouvirmos pessoas que creem em Deus repetirem as palavras de Jesus "mas tende bom ânimo, eu venci o mundo".

O contexto em que Jesus disse essas palavras aos discípulos foi num de seus momentos finais com os tais. 

Em tom de despedida, ele diz "vou para o Pai". E já antecipa que após sua partida, viriam momentos de aflição. E nós sabemos que não só naquele tempo, mas até hoje, pessoas experimentam aflições, inclusive por causa de Jesus e da palavra de Deus.

Em minhas orações, eu costumo interceder pelos missionários, pela igreja perseguida... é uma oração diária que eu faço, pois sei que existem pessoas que abandonam a sua pátria, o conforto de casa, a companhia dos familiares, para pregar a palavra em lugares longíquos, lugares não alcançados, lugares onde as aflições são muitas.

De onde vem essa coragem? De onde vem essa força? Capazes de abnegar a si mesmos, eles partem ao desconhecido, correndo risco de morte, com apenas uma certeza: estou vivendo uma missão que Deus me deu!

Ser missionário no mais claro sentido da palavra é isso, viver uma missão. Missão nobre, que requer ousadia e acima de tudo fé! 

As palavras de Jesus foram direcionadas aos discípulos, mas certamente são um conforto a todos que escolhem seguir um rumo que Deus revela: "tende bom ânimo, eu venci o mundo".

Que possamos cumprir nossa missão na terra sem medo e com bom ânimo, como Jesus nos aconselha!

Amém!

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Deus longânimo e piedoso

"E orou Jonas ao SENHOR, seu Deus, das entranhas do peixe.
E disse: Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do inferno gritei, e tu ouviste a minha voz.
Porque tu me lançaste no profundo, no coração dos mares, e a corrente das águas me cercou; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado por cima de mim.
E eu disse: Lançado estou de diante dos teus olhos; todavia tornarei a ver o teu santo templo.
As águas me cercaram até à alma, o abismo me rodeou, e as algas se enrolaram na minha cabeça.
Eu desci até aos fundamentos dos montes; a terra me encerrou para sempre com os seus ferrolhos; mas tu fizeste subir a minha vida da perdição, ó Senhor meu Deus.
Quando desfalecia em mim a minha alma, lembrei-me do Senhor; e entrou a ti a minha oração, no teu santo templo.
Os que observam as falsas vaidades deixam a sua misericórdia.
Mas eu te oferecerei sacrifício com a voz do agradecimento; o que votei pagarei. Do Senhor vem a salvação.
Falou, pois, o Senhor ao peixe, e este vomitou a Jonas na terra seca."

Jonas 2:1-10

"E veio a palavra do SENHOR segunda vez a Jonas, dizendo:
Levanta-te, e vai à grande cidade de Nínive, e prega contra ela a mensagem que eu te digo.
E levantou-se Jonas, e foi a Nínive, segundo a palavra do Senhor. Ora, Nínive era uma cidade muito grande, de três dias de caminho.
E começou Jonas a entrar pela cidade caminho de um dia, e pregava, dizendo: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.
E os homens de Nínive creram em Deus; e proclamaram um jejum, e vestiram-se de saco, desde o maior até ao menor.
Esta palavra chegou também ao rei de Nínive; e ele levantou-se do seu trono, e tirou de si as suas vestes, e cobriu-se de saco, e sentou-se sobre a cinza.
E fez uma proclamação que se divulgou em Nínive, pelo decreto do rei e dos seus grandes, dizendo: Nem homens, nem animais, nem bois, nem ovelhas provem coisa alguma, nem se lhes dê alimentos, nem bebam água;
Mas os homens e os animais sejam cobertos de sacos, e clamem fortemente a Deus, e convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que há nas suas mãos.
Quem sabe se se voltará Deus, e se arrependerá, e se apartará do furor da sua ira, de sorte que não pereçamos?
E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes faria, e não o fez."

Jonas 3:1-10

Olá!

A passagem da Bíblia sobre Jonas e a baleia é bem conhecida... Jonas foi designado por Deus para levar uma mensagem a Nínive. Porém, recusou-se a fazê-lo. Como resultado foi lançado ao mar pelos "colegas" do navio e acabou sendo engolido por um grande peixe (acredita-se ter sido uma baleia).

Essa história também era familiar para mim, mas até então eu não havia atentado para o que acontece no capítulo 3...

Jonas pede perdão a Deus, clama por socorro, e a baleia o vomita na terra. Jonas decide então fazer o que Deus lhe havia solicitado... vai a Nínive, anuncia que a cidade seria destruída pela ira de Deus, e com isso, o rei e todos os homens da cidade, jovens e velhos, decidem fazer um jejum e clamar pela misericórdia de Deus.

Mais a frente a bíblia mostra que Jonas se enfurece, pois ficou aguardando a cidade ser destruída como Deus havia dito, porém isso não aconteceu! Deus "se arrependeu" do que havia dito, e pelo sacrifício de jejum e clamor dos moradores da cidade, Deus os dá livramento desse castigo.

Isso nos mostra o quanto Deus é longânimo e piedoso! Mesmo em sua majestade, Glória e soberania, ele não se fecha à oração e clamor dos seus filhos! Mesmo estando em pecado, mesmo não sendo merecedores, Deus atenta seus ouvidos para nós quando verdadeiramente, e de todo coração, clamamos pela misericórdia Dele.

Isso é maravilhoso não? E quase incompreensível para um cristão! 
Afinal, temos a concepção de que Deus não volta atrás (e Ele não volta! A Bíblia diz que Deus não é homem para que minta, nem filho do homem para que se arrependa!). Mas Deus é, acima de tudo, piedoso e longânimo! Mesmo tendo errado no passado, ele ainda acredita em nós (longanimidade). 

Mesmo sendo merecedores do castigo, se nos arrependemos verdadeiramente, ele nos perdoa (piedade). Isso mostra que Deus nunca se contradiz! A piedade e misericórdia Dele foi maior, sobre os moradores de Nínive, que o castigo outrora prometido.

Se você pecou, não se afaste de Deus! Faça exatamente o oposto: busque-o ainda mais! Ele te conhece, ele te formou, ele sabe das suas fraquezas... e acima de tudo, ele não se fecha ao clamor e ao arrependimento verdadeiros!

"Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus".

Salmos 51:17


domingo, 27 de abril de 2014


"Converte-te, ó Israel, ao SENHOR teu Deus; porque pelos teus pecados tens caído.

Tomai convosco palavras, e convertei-vos ao Senhor; dizei-lhe: Tira toda a iniqüidade, e aceita o que é bom; e ofereceremos como novilhos os sacrifícios dos nossos lábios.
Não nos salvará a Assíria, não iremos montados em cavalos, e à obra das nossas mãos já não diremos mais: Tu és o nosso deus; porque por ti o órfão alcança misericórdia.
Eu sararei a sua infidelidade, eu voluntariamente os amarei; porque a minha ira se apartou deles.
Eu serei para Israel como o orvalho. Ele florescerá como o lírio e lançará as suas raízes como o Líbano.
Estender-se-ão os seus galhos, e a sua glória será como a da oliveira, e sua fragrância como a do Líbano.
Voltarão os que habitam debaixo da sua sombra; serão vivificados como o trigo, e florescerão como a vide; a sua memória será como o vinho do Líbano.
Efraim dirá: Que mais tenho eu com os ídolos? Eu o tenho ouvido, e cuidarei dele; eu sou como a faia verde; de mim é achado o teu fruto.
Quem é sábio, para que entenda estas coisas? Quem é prudente, para que as saiba? Porque os caminhos do Senhor são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles cairão."


Paz!

Os versículos acima transmitem uma mensagem de exortação e promessas. Em muitas partes na Bíblia podemos encontrar passagens em que Deus fala diretamente aos homens trazendo-lhes exortação, que significa conselho, advertência, admoestação. 

É incrível saber que Deus não apenas criou um mundo maravilhoso e nos fez imagem e semelhança dele, seres dotados de inteligência, autonomia e racionalidade, para viver e desfrutar das maravilhas que ele criou (e isso já seria bom o bastante aos nossos olhos!). Além disso, Deus nos admoesta! Nos dá o livre arbítrio, mas nos aconselha, nos adverte para não andarmos pelo caminho mau.

Não era só naquele tempo que Deus falava com o homem. Ele fala ainda hoje! Se você crer, se você buscar e acima de tudo, se você entregar o seu destino nas mãos de Deus (de forma completa, de coração, não apenas por falar), tenho certeza que Deus vai falar com você!
E muitas vezes é assim mesmo, Deus nos exorta, nos manda uma mensagem de direção. Pode não ser diretamente, mas Deus tem sua forma de falar com cada um. 

As vezes ele coloca um forte desejo no nosso coração de fazer ou de não fazer algo... as vezes é um sentimento, ou até um pressentimento em relação a algo... as vezes se você apenas parar e observar o que acontece a sua volta, você verá o agir de Deus... te livrando de um perigo, colocando oportunidades no seu caminho...  

Voltando ao texto, vemos uma mensagem de correção para as pessoas de Israel, que estavam se desviando do caminho de Deus, buscando a ídolos. Outra coisa que chama atenção é que Deus não apenas corrige, mas nos apresenta o benefício de andar pelo caminho que Ele nos apresenta! 
No versículo acima, Deus promete a Israel que fará essa nação prosperar novamente, dará Glória a essa nação, se ela o buscar, se as pessoas tomarem o caminho que Deus apresenta. 

E as promessas de Deus nunca falham, como se pode ler em Números 23:19 "Deus não é home, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa".

Decida hoje seguir pelo caminho iluminado, o caminho de Deus. Você pode mentir para si mesmo dizendo que não sabe que caminho é esse, mas no fundo, todos sabemos! Fomos feitos à imagem e semelhança do Pai, temos a essência Dele em nós. Reflita, no mais profundo do seu coração, você encontrará as respostas que precisa. Peça a Deus a direção, ele certamente te responderá!